Galeria

Quando nos induzimos ao erro.

texto43

Tem momentos na vida onde o mundo inteiro diz uma coisa e insistimos em interpretar completamente ao contrário.

Existe uma enorme diferença entre: Observar & Interpretar.  Quando lemos a seguinte frase: “Por esse caminho você pode se machucar.”, inconscientemente pensamos assim: “Opa! Não vou por esse caminho porque vou me machucar.”

Entretanto, a frase não disse nada disto, só podemos observar lendo fielmente cada palavra escrita, que por aquele caminho há uma possibilidade de nos machucarmos e não a garantia que nos machucaremos.

Perceberam a diferença entre Observar e Interpretar!? Observar é assumir genuinamente o que cada palavra expressa. Entretanto, Interpretar é dar um significado baseado em nossas experiências pessoais sobre aquilo que foi dito/escrito.

E na vida nem sempre interpretamos corretamente o que o mundo está nos dizendo. Porque nossas experiências são únicas e para cada pessoa tem um peso e uma lição diferente.

Algumas vezes uma situação mostra um certo risco, o que não confirma a ocorrência do mesmo. E por isso não devemos nos abster da chance de vivenciar uma situação por medo de correr riscos, precisamos é analisar se estamos dispostos a assumir às consequências geradas pela possível ocorrência deste.

Uma situação diferente e muito prejudicada pela nossa interpretação é quando começamos a ver problema onde não existe. Sabe quando sua amiga está super atarefada e por isso vocês não estão conseguindo conversar com tanta frequência? Então, você começa a imaginar que ela deve estar chateada contigo por alguma razão, mas qual seria o motivo!??? Você pensa, pensa, pensa e não chega a lugar nenhum. E de repente sua amiga surge e fala “Poxa amiga estou super enrolada no trabalho, sem tempo pra nada, por isso ando sumida.”

Viu!? Você se preocupou e buscou problema onde não existia.

Outra situação comum ocorre na vida sentimental de repente seu marido passa uns dias na dele sem querer sair, brincar, está recolhido, nem é mais tão romântico e você começa a cobrar atenção, cobrar carinho, cobrar romantismo, cobrar que ele ajude na organização da casa, cobrar, cobrar, cobrar… e não para e pergunta se está tudo bem no trabalho dele, se ele está com algum problema, você assume toda sua experiência passada negativa com outra pessoa e aplica a essa realidade a ele.

E se observar a situação verá apenas que ele está quieto. E como esse não é o comportamento normal dele é possível que ele não esteja bem. O problema não é com você, não é no casamento, o problema pode ser na vida dele, no trabalho, na motivação, enfim… só vai saber se perguntar.

Portanto, o que busco nesse texto é mostrar que precisamos aprender a observar mais o que acontece ao nosso redor. E interpretar menos tudo e todos  – o passado não pode atrapalhar nosso futuro, ele serve como base de conhecimento que deve ser utilizada com racionalidade.

Luz a todos!!!

4 comentários sobre “Quando nos induzimos ao erro.

    • Não exclusivamente tia Re 🙂
      Foi também pensando em mim e em outra amiga… aprendi essa diferença em um curso de PNL (Programação Neurolinguística) que fiz na PUC, mas quando não praticamos diariamente caí no esquecimento. Então, devido aos acontecimentos desses últimos dias resolvi compartilhar aqui.
      Obrigada pelo comentário. Beijos.

      Curtir

O que achou da leitura? Deixe aqui registrada sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s